segunda-feira, 15 de julho de 2013

Câmara Municipal de Porto Alegre segue ocupada por manifestantes

As negociações que tentam retirar os manifestantes do Bloco de Lutas, da Câmara Municipal de Porto Alegre (CMPA) ainda não chegaram ao fim. Desde a última quarta-feira (10/07), centenas de pessoas tomam conta do Plenário da Casa reivindicado uma série de ações, como o Passe Livre estudantil e a abertura de contas das empresas de transporte público municipal.

Nesses cinco dias, o vereador Guilherme Socias Villela participou de duas reuniões, com outros representantes do Legislativo, com o objetivo de achar a melhor forma de retirar os invasores do local. Na sexta-feira (12/07) a primeira reunião foi na Câmara Municipal e, devido a tentativa de negociações, o vereador, em nome da bancada do Partido Progressista, retirou-se comunicando que não participaria do encontro por considerar que a aceitação das propostas exigidas pelos manifestantes abriria um perigoso precedente para a democracia. A ação da bancada foi apoiada por meio de mensagens.

Vereadores se reuniram com o presidente a Assembleia Legislativa, Pedro Westphalen 
Foto: Leonardo Contursi/CMPA

Na tarde desta segunda (15/07) Villela participou de outra reunião, desta vez realizada na Assembleia Legislativa. Durante as conversas, o presidente da AL, Pedro Westphalen (PP) recebeu um documento que prova a omissão do Estado na segurança da Câmara de Porto Alegre, dos seus servidores e vereadores. Na ocasião também foi relatado pelo presidente da Câmara, Thiago Duarte (PDT), que no dia da invasão ele havia solicitado apoio da Brigada Militar e não obteve resposta. Esses documentos serão analisados pela mesa diretora da Assembleia.

Para Duarte, a invasão dos manifestantes que tomaram o Plenário da CMPA não passa de um golpe dos partidos PSOL, PSTU e PT, e ainda afirmou que não representa esses grupos, devendo o PT e o PSOL representá-los. 

Desocupação e vandalismo

A saída dos representantes do Bloco de Lutas do Plenário deveria ter ocorrido na manhã desta segunda-feira (15/07), após os vereadores entregarem um documento com compromissos aos manifestantes, o que não ocorreu. Por conta disso, às 15h de hoje foi entregue a determinação de desocupação, mas às 19h30 a Justiça revogou a reintegração de posse para preservar as crianças que estão no local, e determinou a realização de uma audiência de conciliação na próxima quarta-feira (17/07), às 15h. Segundo a Juiza Cristina Luisa Marquesan da Silva, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, os oficiais de Justiça não viram indícios de depredação do patrimônio público pelos manifestantes.

No entanto, desde o primeiro dia, vandalismos foram comprovados no interior da CMPA por servidores. Placas com os nomes dos vereadores no estacionamento foram destruídas e ofensas foram escritas nas paredes. Além disso, fotos da galeria dos ex-presidentes e das vereadoras mulheres foram subtraídas e um coquetel Molotov foi encontrado sob o veículo de um vereador da Casa.  Há também relatos, como o da vereadora Monica Leal (PP), que afirma que na quarta-feira, após a invasão, só conseguiu sair da Câmara com autorização dos manifestantes, após às 20h30. Segundo a vereadora, uma menina chamada Vickie, que seria da comissão de segurança do Bloco de Lutas, a acompanhou até o portão. 

Nenhum comentário: